Alta participação de mulheres e jovens marcam eleições no Irã

Teerã, 12 jun (EFE).- A participação elevada, principalmente de jovens e mulheres, e a ausência de incidentes graves foram os destaques das eleições que acontecem hoje no Irã, onde mais de 46 milhões de eleitores escolhem o próximo presidente do país.

EFE |

Desde a abertura dos colégios eleitorais, às 8h (00h30 de Brasília), as longas filas, as aglomerações às portas das mesquitas e das escolas onde é possível votar são as imagens que marcam o dia no Irã, onde reina um ambiente festivo.

Por volta do meio-dia (local), cerca de cinco milhões de eleitores já tinham votado, conforme anunciou à imprensa oficial o ministro do Interior, Sadek Mahsuli, que acrescentou que as autoridades esperam uma participação recorde em eleições do Irã.

Os iranianos decidem hoje se reelegem o atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, ou se preferem que seja substituído por um dos três candidatos da oposição: o independente pró-reformista Mir Hussein Moussavi, o clérigo aberturista Mehdi Karroubi e o conservador Mohsen Rezaei.

As previsões indicam que a disputa mesmo se dará entre Ahmadinejad e Moussavi, que foi primeiro-ministro do Irã entre 1981 e 1988.

Na entrada dos colégios do norte de Teerã, a maioria dos eleitores dizia que seu voto seria em Moussavi, que conseguiu despertar uma nova esperança entre os jovens e principalmente entre as mulheres, que hoje compareceram às urnas em massa.

No sul, a região mais pobre da capital, a maioria dos votantes se inclinava por Ahmadinejad, mas também havia um grande número de partidários dos candidatos reformistas e do conservador Rezaei.

Ahmadinejad recebe mais apoio nas zonas rurais, enquanto Moussavi é mais popular nos núcleos urbanos e nas regiões onde vivem as minorias do país, como os curdos ou os armênios.

Segundo o Ministério do Interior, os colégios deverão fechar às 18h (10h30 de Brasília), mas tudo indica que o prazo se estenderá por várias horas, com o limite fixado em meia-noite (local).

Os resultados finais, que devem ser validados pelo poderoso Conselho de Guardiães, serão anunciados 24 horas depois do fechamento dos colégios. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG