Al-Sadr culpa EUA e Governo iraquiano por assassinato de seu representante

Bagdá, 11 abr (EFE).- O clérigo xiita Moqtada al-Sadr acusou hoje os Estados Unidos e o Governo iraquiano do assassinato de seu representante na cidade de Najaf (sul do Iraque), Riad al-Nouri, segundo um comunicado divulgado hoje.

EFE |

O escritório de Sadr divulgou uma nota na qual o líder afirma que "não esquecerá o sangue de Nouri", um de seus colaboradores mais próximos na cidade santa para os xiitas.

No entanto, o clérigo radical xiita, que tem paradeiro desconhecido, pediu a seus seguidores para ter paciência e manter a calma, além de ter ordenado uma investigação própria do assassinato, em paralelo às que são realizadas pelas autoridades iraquianas.

Anteriormente, o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, havia condenado como uma "ação brutal" o assassinato de Nouri, após o qual foi imposto o toque de recolher na cidade.

Segundo um comunicado divulgado pelo escritório de Al-Maliki, o crime é "uma tentativa de eliminar as personalidades religiosas e nacionais e de incitar à revolta entre as diferentes facções iraquianas". EFE ah-nq-er/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG