Al-Qaeda reivindica tentativa de atentado em avião da Northwest

O braço da Al Qaeda na península arábica assumiu a autoria do atentado fracassado do dia 25 de dezembro em um voo da Northwest Airlines entre Amsterdã e Detroit, em uma nota publicada em um site islâmico nesta segunda-feira, informou o grupo de monitoramento americano SITE Intelligence.

AFP |

O comunicado foi divulgado junto com uma foto do nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, que tentou fazer explodir a aeronave pouco antes da aterrissagem, mas foi contido pelos passageiros.

"O irmão nigeriano (Umar Faruk Abdulmutallab) passou por todas as barreiras de segurança para realizar a ação, acabando com o grande mito da inteligência americana", diz o comunicado assinado pela rede terrorista e publicado em sites islâmicos.

"Ele utilizou uma técnica de explosivos desenvolvida pelos mujahedines nos ateliês da Al-Qaeda na Península Arábica", baseada no Iêmen, acrescenta o texto.

A rede admitiu que um "erro técnico" provocou o fracasso da tentativa do nigeriano de detonar uma bomba no avião, que estava chegando a seu destino final.

A Al-Qaeda conclamou os soldados muçulmanos nos exércitos inimigos a matar "cruzados" inspirando-se no caso do pisquiatra militar Nidal Hasan, que assassinou 13 pessoas e feriu outras 42 o dia 5 de novembro na base militar de Fort Hood, no Texas (sul dos EUA).

Umar Faruk Abdulmutallab, 23 anos, que reivindicou vínculos com a Al-Qaeda, afirmou ter sido treinado no Iêmen pela rede terrorista, segundo dirigentes americanos citados pela imprensa.

Sexta-feira, o jovem nigeriano tentou detonar uma bomba em um avião de carreira americano procedente de Amsterdã, que se preparava para pousar em Detroit com seus 278 passageiros e 11 tripulantes.

Ele admitiu ter injetado com a ajuda de uma seringa um líquido químico em um explosivo muito potente chamado pentrita, que pode ser ativado por um detonador ou por um forte calor.

O pó explosivo estava colado em sua coxa, o que lhe permitiu passar sem problemas pelos controles do aeroporto de Amsterdã-Schipol, considerado muito rigoroso.

Abdulmutallah foi indiciado sábado por ter "tentado destruir um avião da Northwest Airlines que estava se aproximando do aeroporto de Detroit no dia do Natal e ter introduzido um explosivo a bordo do aparelho".

bur/ap/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG