Al-Qaeda planeja atacar EUA e Europa no Natal, diz iraquiano

Suposto integrante da rede terrorista capturado no Iraque teria revelado planos de atentados ainda este ano

iG São Paulo |

O chefe antiterrorismo do Ministério do Interior do Iraque, general Dhiya Hussein, afirmou nesta quinta-feira que a rede terrorista Al-Qaeda planeja realizar ataques nos Estados Unidos e na Europa perto do Natal.

Segundo o general, a informação foi dada por um suposto integrante de uma célula da Al-Qaeda no Iraque que estava em um grupo de 39 insurgente presos em uma ação no mês passado. "Um dos (homens) confessou que o grupo realizará ataques nos Estados Unidos e da Europa", disse Hussein. "Eles estavam fazendo preparativos para este objetivo".

O general acrescentou que o Iraque já repassou as informações para os países mencionados, e disse que interrogadores americanos conversaram com o insurgente.

"Estamos cientes do anúncio sobre supostos planos terroristas para ataques contra os EUA e a Europa", disse Kelli Lane, porta-voz do Exército norte-americano em Bagdá. "A missão dos EUA no Iraque irá trabalhar de perto com o governo do Iraque e nossos parceiros para ajudar a determinar a extensão de qualquer ameaça potencial."

Ameaça no ar

No Natal de 2009, os Estados Unidos impediram que o nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab detonasse explosivos em um avião americano que voava de Amsterdã a Detroit com mais de 200 passageiros a bordo. Segundo autoridades americanas, ele teria sido treinado pela Al-Qaeda no Iêmen.

Em outubro deste ano, dois pacotes suspeitos foram interceptados por autoridades da Grã-Bretanha e de Dubai. Os pacotes, que continham explosivos, partiram do Iêmen em direção aos Estados Unidos. De acordo com a imprensa americana, o principal suspeito é Ibrahim Hassan al-Asiri, um cidadão da Arábia Saudita que seria um dos líderes da Al-Qaeda na Península Arábica.

Segundo o presidente americano, Barack Obama, os dois dispositivos estavam direcionados a organizações judaicas na área da cidade americana de Chicago. Ele não especificou quais seriam as instituições. As bombas foram encontradas após informações coletadas pelo serviço secreto saudita.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: al-qaedaterrorismoeuaeuropaataqueiraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG