A Al-Qaeda no Maghreb Islâmico (AQMI) ameaçou executar um refém sequestrado no fim de novembro, caso quatro de seus presos no Mali não sejam libertados em 20 dias, informaram os centros americanos de controle de sites islâmicos SITE e IntelCenter.

A AQMI reivindicou em dezembro o sequestro do francês Pierre Camatte, capturado no Mali em 26 de novembro, e de três trabalhadores humanitários espanhóis, raptados quatro dias mais tarde na Mauritânia, na fronteira com Mali.

"O grupo deu aos governos da França e Mali um prazo de 20 dias para libertar os quatro presos da AQMI no Mali. Caso contrário, Camatte será executado", informou o SITE, que citou um comunicado com data de 10 de janeiro divulgado em fóruns jihadistas.

Pierre Camatte, de 61 anos, preside a associação Gerardmer-Tidarmene, envolvido no cultivo de uma planta terapêutica contra a malária.

txw/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.