Al-Qaeda ameaça alemães antes de eleições

Dois serviços de monitoramento de inteligência revelaram que a rede terrorista Al-Qaeda divulgou um vídeo ameaçando a população alemã de retaliações caso o atual governo vença as eleições do dia 27 de setembro.

AFP |

A Alemanha também é ameaçada de ataque caso não retire os 4.2000 soldados que mantém no Afeganistão, informam os grupos de monitoramento, baseados nos Estados Unidos.

No vídeo, falado em alemão, um homem identificado como Abu Talha, o Alemão, diz que se a chanceler Angela Merkel for reeleita, "tempos amargos esperam os alemães", segundo os serviços IntelCenter e SITE Intelligence Group.

Ele indaga: "senhora Merkel, qual foi a lógica consequência colhida pelos conservadores britânicos e espanhóis por seu apoio à guerra do Iraque?", numa clara referência aos ataques terroristas em Madri e Londres em 2004 e 2005.

O ministro do Interior da Alemanha admitiu hoje que há um risco maior de ataques em solo alemão antes das eleições, e informou que a segurança nos aeroportos e estações de trem foi reforçada.

Falando para os muçulmanos alemães, Abu Talha diz que "a Al Qaeda pede a vocês que fiquem longe de tudo o que não for necessário nas duas semanas depois das eleições, se o povo alemão não decidir retirar seus soldados do Afeganistão. Mantenham suas crianças por perto neste período".

Abu Talha, cujo nome verdadeiro é Bekkay Harrach, segundo as mesmas fontes, aparece na frente de uma cortina vermelha vestindo terno e gravata.

As autoridades alemãs afirmam que ele nasceu no Marrocos, tem cerca de 30 anos e vivia na cidade de Bonn. Hoje, acredita-se que esteja na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão.

No vídeo, ele pede aos jovens muçulmanos que vivem na Alemanha para deixar que a Al-Qaeda aja primeiro se a Jihad (guerra santa) tiver que começar na Alemanha, e diz que eles serão informados caso sua ajuda seja necessária depois.

afp/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG