Redação central, 12 out (EFE).- O espanhol Fernando Alonso, da Renault, contou hoje mais uma vez com a sorte e a estratégia para vencer o Grande Prêmio do Japão e obter seu segundo triunfo consecutivo na temporada, enquanto o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, fez uma corrida de recuperação para diminuir a vantagem do inglês Lewis Hamilton no campeonato.

Massa, que largou na quinta colocação, terminou em oitavo.

Hamilton, que ocupou a pole position no grid de largada, não passou da 12ª colocação.

Pressionado na equipe Renault, o brasileiro Nelsinho Piquet fez ótima corrida e somou mais cinco pontos com a quarta posição no Japão. Rubens Barrichello fez uma corrida discreta e terminou em 13º.

Com estes resultados, a diferença entre Hamilton e Massa agora é de seis pontos. O piloto da McLaren permaneceu com 84 pontos, e o brasileiro foi a 78. Quem ainda se mantém com chances de conquistar o título é o polonês Robert Kubica, da equipe BMW, que terminou em segundo lugar e agora tem 72.

Vencedor da corrida, Alonso, que já havia conquistado o GP de Cingapura após a entrada do Safety Car, dessa vez foi favorecido por uma confusão logo no início da prova envolvendo os pilotos de McLaren e Ferrari.

Depois de ser dada a luz verde, o finlandês Kimi Raikkonen, companheiro de Massa, foi para cima de Hamilton e conseguiu a ultrapassagem. O piloto da McLaren, no entanto, não deixou barato e tentou retomar a posição ainda na primeira curva.

Com isso, Massa e Raikkonen se espalharam e perderam posições.

A manobra custou uma punição a Hamilton, que foi obrigado a passar pelos boxes. Pouco antes, porém, o inglês havia se envolvido em um lance polêmico com Felipe Massa. Após ser ultrapassado por Hamilton, o brasileiro também tentou uma manobra arriscada, colocando os pneus sobre a grama.

Sem espaço, Massa acabou tocando em Hamilton, que rodou e caiu para a última colocação. Como punição, o brasileiro também teve de passar pelos boxes e voltou nas últimas colocações.

Em corrida de recuperação, Hamilton e Massa fizeram diversas ultrapassagens, mas apenas o brasileiro conseguiu alcançar a zona dos pontos, quase no fim da prova.

Após o acidente inicial, a liderança caiu no colo de Robert Kubica, mas após as paradas para reabastecimento ficou com Alonso. O espanhol abriu vantagem suficiente sobre o polonês para realizar outra parada nos boxes e ainda voltar à frente. A partir daí, foi só administrar.

Nelsinho Piquet, que chegou a liderar a prova durante algumas voltas, utilizou a mesma estratégia para ganhar a posição do italiano Iarno Trulli, da Toyota. O brasileiro da Renault havia largado em 12º, mas com os incidentes no inicio da corrida pulou para o pelotão da frente.

Os mais prejudicados no começo da prova foram o escocês David Coulthard, da RBR, e o japonês Kazuki Nakajima, da Williams. O primeiro abandonou a prova após bater na primeira curva. O segundo perdeu o bico do carro e teve de ir para os boxes.

Tmbém não completaram a prova o alemão Adrian Sutil e o italiano Giancarlo Fisichela, ambos da Force Indian, Heikke Kovalainen, da McLaren, e Timo Glock, da Toyota.

Raikkonen, contestado nas últimas corridas por causa de seu desempenho, mostrou regularidade e vontade de subir ao pódio. Após estar em quinto, o finlandês chegou a brigar pelo segundo lugar, mas não conseguiu passar Kubica e terminou em terceiro.

Em quinto, ficou Trulli. O francês Sebastian Bourdais e o alemão Sebastian Vettel, ambos da STR, terminaram na sexta e sétima colocações respectivamente.

Um incidente envolvendo Massa e Bourdais está sob investigação.

Mas a decisão ainda não foi divulgada.

No Mundial de construtores, a Ferrari retomou a liderança. Agora tem 141 pontos, seis a mais que a McLaren. A BMW está em terceiro com 128. EFE rd/rb/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.