Aliados de Shinawatra começam a recolher assinaturas para seu indulto real

Bangcoc, 31 jul (EFE).- Os seguidores do deposto ex-primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra iniciaram hoje sua campanha de recolhimento de assinaturas para que lhe seja outorgado um perdão real e possa retornar ao país sem ser perseguido pela justiça.

EFE |

Um dos líderes da opositora Aliança Democrática contra a Ditadura, Nattawut Sai-kua, anunciou antes de uma manifestação em Bangcoc que esperam conseguir até cinco milhões de rubricas para apoiar sua causa na capital e tradicional reduto do país.

O chefe do Executivo tailandês, Abhisit Vejjajiva, criticou o plano e lembrou que este tipo de indulto só pode ser solicitado pelo indivíduo em questão ou seus familiares.

A campanha para o perdão ameaça reavivar a disputa entre partidários e opositores de Shinawatra na Tailândia, que sofre uma profunda crise política há três anos por causa do confronto.

O Governo de Vejjajiva ordenou ontem às Forças Armadas vigiar o recolhimento de assinaturas, argumentando que o dever dos militares é defender a monarquia e o venerado rei Bhumibol Adulyadej.

Além disso, os meios de comunicação estatais receberam instruções para lembrar à população que utilizar com fins políticos a Família Real pode ser considerado um delito de altivez, castigado com uma pena máxima de 15 anos de prisão.

Shinawatra, atualmente em paradeiro desconhecido, governou a Tailândia de 2001 a 2006, quando foi derrubado por um golpe de Estado. EFE tai/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG