Aliados asiáticos rejeitam apoio a ação russa na Geórgia

DUSHANBE, Tadjiquistão (Reuters) - Cinco aliados asiáticos da Rússia manifestaram na quinta-feira grave preocupação com a tensão na Geórgia, mas evitaram declarar apoio explícito a Moscou em sua atual disputa com o Ocidente. Em nota, os países da Organização para a Cooperação de Xangai (OCX, formada por Rússia, China e quatro ex-repúblicas soviéticas da Ásia Central) defenderam a reconciliação e o diálogo.

Reuters |

O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, esperava deixar a reunião com o apoio dos aliados à sua decisão, nesta semana, de reconhecer a independência da Ossétia do Sul e da Abkházia, duas regiões separatistas da Geórgia que estão sob ocupação russa.

'Os Estados da OCX manifestam grave preocupação em relação às recentes tensões em torno da questão sul-ossétia e pedem às partes que resolvam os problemas existentes pacificamente, por meio do diálogo, e que realizem esforços que facilitem a reconciliação e o diálogo', disse a nota.

A crise começou no dia 7, quando a Geórgia enviou tropas para tentar reassumir o controle da Ossétia do Sul, uma região separatista e etnicamente diversa que desde 1992 goza de autonomia sob proteção de Moscou. A Rússia reagiu ocupando militarmente a Ossétia do Sul, a Abkházia (que está na mesma situação) e partes da Geórgia.

EUA e União Européia exigem que a Rússia retire suas tropas e respeite a integridade territorial georgiana -- conceito que o Kremlin desafiou nesta semana ao reconhecer a independência das duas regiões.

Até agora, nem mesmo aliados tradicionais da Rússia manifestaram apoio explícito ao reconhecimento.

Os seis países reunidos no Tadjiquistão deram seu aval ao plano de paz francês que encerrou os combates neste mês, e também reconheceram que a Rússia tem um papel importante no Cáucaso.

'Os Estados da OCX saúdam a adoção em Moscou em 12 de agosto de seis princípios para a resolução do conflito na Ossétia do Sul e apóiam o papel ativo da Rússia em contribuir com a paz e a cooperação na região', disse a nota.

No começo da cúpula, Medvedev disse aos líderes de China, Tadjiquistão, Uzbequistão, Quirguistão e Cazaquistão que a ação russa foi uma reação legítima a 'uma irresponsável agressão georgiana contra a Ossétia do Sul'.

'Somos gratos por sua compreensão e por uma avaliação objetiva dos esforços de promoção da paz por parte da Rússia', disse Medvedev.

'Temos certeza de que a posição dos membros da OCX terá uma resposta internacional apropriada. Espero que sirva como um sinal sério para aqueles que tentam [...] justificar a sangrenta aventura da liderança georgiana.'

Analistas diziam que a Rússia teria dificuldade em obter apoio dos demais países da OCX porque vários deles -- inclusive a China -- têm problemas com separatistas em seus próprios territórios.

(Por Oleg Shchedrov)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG