homem excepcional - Mundo - iG" /

Ali Agca define João Paulo II como homem excepcional

Roma, 19 jan (EFE).- Ali Agca, o turco de extrema-direita que atirou contra João Paulo II na Praça de São Pedro em 13 de maio de 1981, afirma que o papa polonês foi um homem excepcional, informa hoje o jornal La Repubblica.

EFE |

O diário italiano publica uma entrevista com Agca após sair ontem da prisão turca, onde cumpria pena desde 2000 pelo assassinato de um jornalista.

"O papa polonês foi um homem excepcional, maravilhoso. Wojtyla é o homem símbolo do Evangelho do amor, que agora é traído por milhões de falsos cristãos prisioneiros de ódio e rancor", afirmou Agca.

Além disso, desejou "todo o melhor" ao papa Bento XVI e pediu à Igreja Católica "revelar o quarto Segredo de Fátima", senão ele mesmo o faria.

Na entrevista, o ex-membro dos "Lobos Grises" fala sobretudo do caso de Emanuela Orlandi, a jovem filha de um alto funcionário do Vaticano desaparecida em junho de 1983 e que Agca sempre associou com o atentado ao papa e com sua própria detenção.

Segundo Agca, "Emanuela Orlandi está viva, sempre foi tratada humanamente e só está restrita ao contato externo". Afirmou que espera "levá-la ao Vaticano. Talvez em 22 de junho, data de seu sequestro".

Agca insistiu que a jovem, que tinha 15 anos quando desapareceu, foi sequestrada para pedir a libertação do turco "por uma organização poderosa" da qual não quis revelar o nome. EFE ccg/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG