"Alex" se transforma em furacão de categoria 2 perto do México

Por causa da proximidade da tormenta, Obama declara estado de alerta no Texas e México retira 2 mil pessoas de vila de pescadores

EFE |

O furacão "Alex" passou para a categoria 2 perto do litoral nordeste do México e seus ventos máximos sustentados subiram para 155 km/h, segundo meteorologistas americanos. "É possível um fortalecimento adicional antes que toque terra", informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos EUA.

De acordo com as últimas informações, o olho do furacão, o primeiro da temporada no Atlântico,  encontra-se a cerca de 130 quilômetros ao nordeste de La Pesca (México) e a 170 quilômetros ao sul-sudeste de Brownsville, no Estado americano do Texas.

Por causa da proximidade do fenômeno climático, o presidente dos EUA, Barack Obama, declarou estado de emergência no Texas. Espera-se que o furacão atinja o continente perto da fronteira entre o Texas e o México.

A agitação marítima causada pela tormenta interrompeu os esforços de limpeza no Golfo do México, que sofre com o vazamento de petróleo de uma plataforma da BP. As altas ondas e os fortes ventos também empurraram mais óleo para as praias da Louisiana.

Prevenção no México

Pelo menos 2 mil pessoas foram retiradas do Estado mexicano de Tamaulipas, na costa norte do Golfo do México, por causa do "Alex". De acordo com o Serviço Meteorológico Nacional (SMN), o "Alex" poderá atingir as comunidades La Pesca e La Carbonera, ambas localizadas no norte do Estado.

Os cerca de 2 mil retirados são da comunidade pesqueira de La Carbonera, já que suas casas de madeira estão construídas muito perto da praia e a maré vem subindo consideravelmente nesta quarta-feira.

Na cidade de Matamoros, fronteira com Brownsville (sudeste dos EUA), o furacão provocou intensas chuvas que inundaram diversas ruas. Alguns habitantes deslocaram-se por riachos em bicicletas amarradas com cordas diante da força das correntes.

As autoridades de Tamaulipas começaram a pedir aos habitantes que se abasteçam de água e alimentos.

*Com AFP, BBC e EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG