Alerta de tsunami é ampliado para Colômbia, Panamá, Costa Rica e Antártida

SANTIAGO DO CHILE - O Centro de Advertência de Tsunami para o Pacífico dos Estados Unidos ampliou o alerta de tsunamis em grau de vigilância para Colômbia, Panamá, Costa Rica e Antártida, além do Equador, incluído inicialmente, após o terremoto de 8,3 graus na escala Richter registrado no Chile.

EFE |

O alerta de tsunami se mantém para o Chile e Peru, países que em princípio poderiam ser mais afetados por ondas gigantes, segundo o último boletim do Centro de Advertência da Administração Nacional de Atmosfera e Oceanos dos EUA (NOAA, sigla em inglês).

"A observação do nível do mar indica que o tsunami foi gerado.

Pode ser mais destrutivo no litoral nos locais próximos ao epicentro do terremoto e pode ser considerado também uma ameaça para costas mais distantes", explica o site do NOAA.

O Centro acrescenta que "as autoridades devem tomar as medidas adequadas para responder a essa possibilidade".

Segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês), o terremoto teve epicentro no mar, a 59,4 quilômetros de profundidade, na região da costa da região de Maule, no centro do Chile.

O tremor, de um minuto de duração, foi sentido em Santiago, a 317 quilômetros do epicentro, e em regiões de norte a sul do país, além de várias partes da Argentina. EFE mf/fm

    Leia tudo sobre: terremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG