Alerta de ciclone é retomado em Havana e províncias ocidentais de Cuba

Havana, 29 ago (EFE).- A Defesa Civil de Cuba voltou a declarar hoje alerta de ciclone na cidade de Havana e em duas regiões vizinhas pela ameaça de Gustav, que esta tarde voltou a apresentar ventos de 120 km/h ao sul da ilha, informaram fontes oficiais.

EFE |

O Estado-Maior da Defesa Civil tinha retirado na manhã esse nível de alerta na capital cubana, de 2,2 milhões de habitantes, e nas províncias de Havana e Matanzas, mas o restaurou cinco horas depois.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, com sede em Miami, anunciou hoje que "um avião de reconhecimento indica que 'Gustav' ganhou intensidade e é novamente um furacão".

Seu centro estava às 15h (Brasília) de hoje perto da latitude 18,8 graus norte e da longitude 79,3 graus oeste, 200 quilômetros ao lés-sudeste de Grand Cayman (Ilhas Cayman) e 685 quilômetros ao lés-sudeste da costa oeste de Cuba.

O Instituto Meteorológico de Cuba tinha alertado poucas horas antes sobre o aumento do perigo de "Gustav" para a metade oeste da maior ilha das Antilhas, pois a área que os ventos atingiam com força máxima abrangia então aproximadamente 450 quilômetros de diâmetro e estava aumentando.

Continuam em "alerta de ciclone" os territórios mais ocidentais: a província de Pinar del Río, situada em frente à península mexicana de Iucatã, e a Isla de la Juventud, frente à costa sudoeste do país.

Segundo a imprensa oficial cubano, Pinar del Río foi atingida por cerca de 150 tempestades tropicais e furacões nos últimos cem anos.

EFE am/bm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG