Alemanha se despede de vítimas de massacre em funeral transmitido pela TV

Berlim, 21 mar (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente do país, Horst Köhler, se despediram hoje das 15 vítimas do suicida de 17 anos que, há dez dias, promoveu um massacre ao invadir uma escola de Winnenden e depois fugir até uma concessionária de Wendlingen.

EFE |

Embalado pelo repicar de milhares de sinos de todas as igrejas do estado de Baden-Württemberg, o funeral lotou a Igreja de São Carlos Borromeo, em Winnenden, de onde foi retransmitido ao vivo pela TV, sendo acompanhado por milhares de pessoas de outras igrejas, pavilhões e do estádio de futebol local.

A cerimônia começou com a leitura dos nomes das vítimas do ataque, paralela à qual estudantes do colégio Albertville, vestidos de preto, iam colocando sobre o altar da igreja uma vela e uma flor para cada um dos 15 mortos.

Apenas as autoridades, os familiares das vítimas e os alunos da escola invadida em 11 de março tiveram acesso ao templo, no qual o bispo protestante Otfried July e o padre católico Gebhard Fürst celebraram um culto ecumênico.

"Não podemos esquecer do nome do autor destes terríveis crimes, Tim Kretschmer", disse July em sua homilia, durante a qual pediu uma oração pelo jovem assassino.

Após o funeral, ainda na mesma igreja, o presidente Horst Köhler deu início à cerimônia do Estado em memória das vítimas, reconhecendo que "nada mais é como era" e lembrando a comoção que o massacre causou na pequena Winnenden, de 27 mil habitantes, e em toda a Alemanha.

"Muitos de nós se desfazem na dor. Mas, enquanto pudermos consolar uns aos outros, nossa vida não será desconsolada. Não encontramos sentido num ato assim, mas enquanto houver pessoas que precisam de nós e de quem gostamos, enquanto tivermos uma tarefa, nossa vida fará sentido", disse Köhler, visivelmente emocionado, enquanto continha um soluço no começo de seu discurso.

Depois, Köhler e Merkel expressaram pessoalmente suas condolências aos familiares das vítimas, com os quais conversaram brevemente ao término das cerimônias, que duraram mais de duas horas.

A vizinha localidade de Leutenbach-Weiler, onde vivia o assassino Tim Kretschmer, também promoveu seu funeral pelas vítimas do massacre. EFE jcb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG