Berlim, 21 dez (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, vê com reservas o aumento do número de soldados alemães no Afeganistão.

Em declarações publicadas hoje pelo jornal "Saarbrücker Zeitung", Westerwelle lembra que há muito pouco tempo o Governo e o Parlamento elevaram de 3.500 para 4.500 soldados o contingente do país em solo afegão.

Para ele, mais que reforçar a presença da Alemanha na nação asiática, o importante é "estabelecer uma ampla estratégia política".

No entanto, o político ressalta que a Alemanha está disposta a se comprometer mais na reconstrução civil e, particularmente, na formação de policiais.

As declarações mostram que Westerwelle está em total sintonia com o ministro da Defesa, Karl-Theodor zu Guttenberg, que várias vezes demonstrou cautela diante dos insistentes pedidos dos Estados Unidos para que o aumente o número de soldados no Afeganistão.

Tanto Guttenberg como Westerwelle já disseram que a conferência sobre o Afeganistão, programada para o fim de janeiro, em Londres, não deve virar um encontro sobre contingentes, mas promover o debate de uma estratégia a ser seguida.

"Se a conferência do Afeganistão virar uma mera conferência de países que enviam tropas, não ir não fará falta", diz Westerwelle na entrevista ao "Saarbrücker Zeitung". EFE ih/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.