Berlim, 26 nov (EFE).- O ministro de Relações Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, rejeitou hoje a proposta dos Estados Unidos de acelerar a entrada de Geórgia e Ucrânia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), questão que será abordada na próxima reunião ministerial da aliança militar em Bruxelas.

"Não há nenhuma razão para passar por cima das resoluções da cúpula de abril em Bucareste", disse Steinmeier em um discurso no Bundestag (Parlamento alemão), durante o debate sobre o orçamento estatal.

O propósito dos EUA é de acelerar a incorporação das duas ex-repúblicas soviéticas à Otan, antes de serem oficialmente convidadas oficialmente a integrarem o Plano de Ação para adesão.

Steinmeier foi informado na segunda-feira por telefone sobre a nova iniciativa dos EUA neste sentido pela secretária de Estado americana, Condoleezza Rice.

Na cúpula de abril, realizada em Bucareste, Berlim já tinha rejeitado o objetivo de Washington de acelerar a incorporação dos países ao plano preparatório.

O assunto será discutido na próxima semana na rodada ministerial de Bruxelas.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, ratificou em visita a Moscou em outubro, sua convicção de que ainda é cedo para convidar Geórgia e Ucrânia ao Plano de Ação a afirmou que a postura de Berlim não mudou desde a cúpula de Bucareste.

"Pular o Plano de Ação seria um precedente perigoso", reiterou Steinmeier ao Bundestag.

O ministro de Relações Exteriores alemão também insistiu na vontade comum de abrir com o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, uma "nova fase" nas relações transatlânticas.

O futuro Governo americano terá uma "excelente oportunidade" para essa nova etapa, tanto na escala bilateral quanto na unilateral. EFE gc/wr/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.