Berlim, 19 jan (EFE).- O Governo alemão garantiu hoje que fará tudo o que for possível para acelerar a chegada ao país das crianças haitianas adotadas por cidadãos alemães.

As primeiras crianças desse grupo, cujo processo de adoção começou antes do terremoto, partirão para a Alemanha nos próximos dias, segundo o Ministério de Assuntos Exteriores.

Funcionários da Embaixada da Alemanha no Haiti já visitam os centros onde essas crianças estão abrigadas para verificar se estão bem e recebem a atenção necessária.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) da terça-feira passada e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Em declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, disse que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que pelo menos 17 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor. EFE gc/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.