Alemanha pede desculpas por morte de soldados afegãos

Berlim, 4 abr (EFE).- O ministro da Defesa da Alemanha, Karl-Theodor zu Guttenberg, pediu hoje desculpas pela morte de seis soldados afegãos por tropas alemãs e prometeu uma exaustiva investigação do caso.

EFE |

Na sexta-feira, forças alemãs mataram seis soldados afegãos que, segundo as informações divulgadas até o momento, trafegavam em veículos privados e não foram reconhecidos como tais.

Em entrevista coletiva concedida em Bonn, Guttenberg explicou que, pelo que se sabe até agora, os soldados se negaram a parar diante de uma coluna de carros militares alemães que substituiria uma companhia atacada por talibãs.

Guttenberg ressaltou que "incidentes" como o de matar membros de Forças Armadas amigas não podem ser descartados "no que, na linguagem coloquial, podemos chamar de uma guerra".

Com isso, o ministro voltou a utilizar o termo 'guerra' para falar da operação no Afeganistão, algo que, segundo sua opinião, é "mais honesto".

O ministro se defendeu das críticas de que o incidente ocorreu devido à falta de equipamento no Afeganistão, especialmente de sistemas de reconhecimento.

Segundo Guttenberg, tudo aponta que, no momento do ataque aos soldados afegãos, era noite e havia uma tempestade de areia na área, situação em que pouco ajuda ter aviões de reconhecimento.

Após a experiência do bombardeio em setembro que matou civis afegãos e que derrubou vários membros do alto escalão alemão, o ministro se mostrou hoje cauteloso ao comentar o incidente de sexta-feira.

Guttenberg assegurou que aguardará um relatório detalhado sobre o ocorrido para voltar a comentar o assunto.

O ministro ressaltou a necessidade de permanecer no Afeganistão e assegurou que a morte de soldados alemães e afegãos não foi em vão, pois servirá no médio prazo para pacificar o Afeganistão e evitar que haja instabilidade em outros lugares do mundo. EFE ih/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG