Alemanha oferece ajuda a Obama em política externa

Berlim, 10 jan (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da Alemnha, Frank Walter Steinmeier, apresentou ao presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, um compêndio de ofertas de cooperação em áreas críticas da política externa.

EFE |

Em carta aberta a Obama publicada na edição da revista "Der Spiegel" que entra em circulação amanhã, Steinmeier reivindica uma reforma na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), oferece a ajuda da Alemanha no fechamento da prisão de Guantánamo e propõe medidas específicas para a reconstrução do Iraque.

Sobre o país árabe, Steinmeier escreve: "Por boas razões, o senhor, da mesma forma que eu, mostrou-se contra a guerra há seis anos. Hoje o importante é olharmos unidos para frente".

Na carta, o chefe da diplomacia alemã anuncia sua intenção de, "em breve", visitar o Iraque para avaliar sobre o terreno as possibilidades de oferecer ajuda concreta nas áreas de saúde e educação.

Sobre a prisão de Guantánamo, Steinmeier destaca que os países da União Européia (UE), para facilitar o fechamento do loca, estão dispostos a receber prisioneiros.

Caso os EUA peçam ajuda, "sou a favor de que a comunidade internacional e a Europa não deixem a nova Administração de mãos abanando com essa tarefa", destaca o político social-democrata.

Por outro lado, Steinmeier critica com dureza a situação da Otan, que, segundo diz na carta, precisa de "uma nova orientação". Além disso, ressalta que os países-membros da Aliança Atlântica adiaram por muito tempo "uma discussão sincera sobre quais devem ser suas tarefas".

Por fim, o chefe da diplomacia alemã pede a Obama que redesenhe as relações dos EUA com a Rússia e aceite a oferta do chefe de Estado russo, Dmitri Medvedev, de "renovar as estruturas de segurança" na Europa. EFE jcb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG