A Alemanha convoca a partir de domingo às margens do Reno uma reunião ministerial sobre o clima co-presidida pelo México, anfitrião da próxima conferência da ONU para tentar dar impulso às difíceis negociações desde o fracasso da COP15 em dezembro em Copenhague." /

A Alemanha convoca a partir de domingo às margens do Reno uma reunião ministerial sobre o clima co-presidida pelo México, anfitrião da próxima conferência da ONU para tentar dar impulso às difíceis negociações desde o fracasso da COP15 em dezembro em Copenhague." /

Alemanha faz nova reunião sobre o clima para preparar cúpula do México

A Alemanha convoca a partir de domingo às margens do Reno uma reunião ministerial sobre o clima co-presidida pelo México, anfitrião da próxima conferência da ONU para tentar dar impulso às difíceis negociações desde o fracasso da COP15 em dezembro em Copenhague.

AFP |

A Alemanha convoca a partir de domingo às margens do Reno uma reunião ministerial sobre o clima co-presidida pelo México, anfitrião da próxima conferência da ONU para tentar dar impulso às difíceis negociações desde o fracasso da COP15 em dezembro em Copenhague.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente mexicano, Felipe Calderón, abrirão o "diálogo de Petersberg", nome do castelo que os receberá perto de Bonn.

Cerca de 40 ministros anunciaram sua participação neste encontro que se prolongará até terça-feira com o propósito de restabelecer a confiança abalada pelo infeliz desenlace da cúpula de Copenhague, ante a perspectiva da próxima conferência no México, no final de novembro.

"As negociações se veem deteriorada pela falta de confiança e liderança", destaca o ministro do Meio Ambiente alemão, Norbert Röttgen, em sua carta de convite.

O primeiro encontro do ano, em meados de abril, em Bonn, com apoio da Convenção das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (CMNUCC), permitiu medir a desconfiança entre as delegações e o alcance dos obstáculos a superar.

"Se assistirmos a outro fracasso no México, isso trará consigo uma grave perda de confiança sobre a eficácia desse processo", advertiu, então, o secretário-geral da convenção, Yvo de Boer.

Fora a Europa, que envia sete ministros e sua comissária para o clima, Connie Hedegaard, estarão representados os Estados Unidos, os grandes emergentes (China, Índia, Brasil e África do Sul), assim como a África, os pequenos Estados insulares (Maldivas, Granada, Barbados) e alguns dos países mais vulneráveis ao problema, como Bangladesh.

ach/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG