Alemanha exige que Rússia e China pressionem regime birmanês

Berlim, 13 mai (EFE).- A ministra de Cooperação Econômica e Ajuda ao Desenvolvimento alemã, Heidemarie Wieczorek-Zeul, exigiu hoje que China e Rússia pressionem Mianmar (antiga Birmânia) no Conselho de Segurança das Nações Unidas para que permita a entrada no país dos voluntários que pretendem ajudar as vítimas do ciclone Nargis.

EFE |

O Conselho de Segurança da ONU deve pressionar energicamente a Junta Militar que governa Mianmar para que autorize a entrada das organizações humanitárias internacionais no país, disse a ministra ao jornal "Passauer Neue Presse".

Wieczorek-Zeul afirma que a comunidade internacional é responsável por ajudar as pessoas em situações catastróficas, especialmente quando seu Governo não protege conscientemente sua própria população.

A ministra exige que o Governo birmanês deixe nas mãos das Nações Unidas a distribuição da ajuda humanitária nas regiões atingidas pelo "Nargis".

"Nenhum Governo do mundo e muito menos um composto unicamente por militares é capaz de organizar uma operação de ajuda humanitária dessas dimensões", assinalou.

Até agora, a Junta Militar reconhece quase 32 mil mortos e cerca de 30 mil desaparecidos pelo ciclone, mas a ONU calcula que entre 63 mil e 102 mil as pessoas perderam a vida, 220 mil estão em paradeiro desconhecido e quase 2 milhões ficaram desabrigadas. EFE jcb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG