Alemanha exige que Irã liberte ativista

Berlim, 22 jul (EFE).- O Governo alemão exigiu hoje às autoridades iranianas a libertação da advogada e defensora dos direitos humanos Shadi Sadr.

EFE |

"O Governo condena a detenção de Shadi Sadr, uma advogada comprometida e defensora dos direitos da mulher", denunciou o ministro de Assuntos Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, em comunicado.

Steinmeier apelou ao Governo de Teerã a colocar "imediatamente" em liberdade Shadi Sadr e cumprir os compromissos internacionais sobre proteção dos direitos civis e políticos que assinou e ratificou.

Segundo a Anistia Internacional comunicou na sexta-feira passada, a advogada caminhava em Teerã com um grupo de ativistas dos direitos humanos quando alguns indivíduos não identificados tentaram colocá-la violentamente em um automóvel.

Shadi Sadr, advogada e jornalista, é fundadora do "Zanan-e Iran" (Mulheres do Irã), primeiro site dedicado ao trabalho dos ativistas que defendem os direitos das iranianas, e escreveu extensamente sobre esse tema. EFE ih/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG