Alemanha estuda prorrogar uso de usinas nucleares em até 28 anos

Berlim, 26 mar (EFE).- O Governo alemão cogita estender, por até 28 anos além do previsto, a operação das usinas nucleares em funcionamento no país, informam hoje os jornais Handelsblatt e Suddeutsche Zeitung.

EFE |

Segundo as duas publicações, o ministro do Meio Ambiente, Norbert Rottgen, que falava de uma prorrogação de até 20 anos, teria aceito aumentar a vida útil das usinas após ceder a pressões dos seus colegas da Chancelaria, Ronald Pofalla, e da Economia, Rainer Bruderle.

A coalizão da chanceler Angela Merkel, integrada pela União Democrata-Cristã (CDU), pela União Social-Cristã da Baviera (CSU) e pelo Partido Liberal (FDP), já tinham avançado, ao formalizarem a aliança governista, no propósito de adiar o desligamento das centrais nucleares. Porém, não tinham definido novos prazos.

De acordo com o calendário aprovado em 2000 pelo Governo socialdemocrata-verde do então chanceler Gerhard Schröder, as usinas atômicas seriam desligadas progressivamente até 2022, quando o último reator pararia de funcionar.

O Governo de Merkel disse uma vez não abriria novas usinas.

Apenas permitiria que as mais seguras entre as existentes continuassem funcionando. Atualmente, há 17 centrais em operação em todo o país. EFE gc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG