Alemanha estuda participar de conferência sobre racismo

Berlim, 20 abr (EFE).- O Governo alemão, que decidiu não assistir à conferência da ONU sobre o racismo realizada em Genebra por medo de que se transforme em um tribunal contra Israel, reserva-se o direito de participar da mesma se observar que tem um desenvolvimento positivo.

EFE |

"Se houver um desenvolvimento positivo, reservamo-nos o direito de nos unir à discussão final", disse hoje o vice-porta-voz do Governo alemão, Thomas Steg.

A Alemanha anunciou ontem à noite que não assistiria à conferência realizada em Genebra e que também foi boicotada por outros países - como Estados Unidos, Itália e Holanda - por temor de que se transforme em cenário para uma campanha contra Israel.

Hoje, o responsável de Direitos Humanos do Governo alemão, Günther Nooke, defendeu o boicote à conferência, mas lamentou que não tenha se conseguido que mais membros da União Europeia (UE) se unissem ao mesmo.

A conferência terminará na sexta-feira e conta com a participação da maioria dos membros da UE. EFE rz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG