Alemanha diz que retirada de tropas não ajuda Afeganistão

Berlim, 10 fev (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, afirmou hoje que a retirada imediata das tropas estrangeiras posicionadas no Afeganistão não solucionaria nada.

EFE |

Em um discurso no Parlamento alemão, Westerwelle também defendeu a nova estratégia da chanceler Angela Merkel para o país asiático, que dá mais peso à formação de soldados e policiais afegãos.

"Continuar na mesma não é uma alternativa, mas ir embora e se desinteressar por tudo também não são", disse o ministro à câmara baixa.

A meta do Executivo, segundo Westerwelle, é que os afegãos assumam a responsabilidade de sua segurança o quanto antes. Mas para isso, ressaltou, é preciso aumentar a ajuda.

O ministro disse ainda que, embora tenha como objetivo garantir a segurança da Alemanha, a missão no Afeganistão também tem compromissos com milhões de afegãos que depositaram suas esperanças na cooperação alemã.

Recusando-se a atender a um pedido da oposição social-democrata, Westerwelle não estabeleceu uma data precisa para a retirada das tropas alemãs em solo afegão e disse que isso seria um erro, já que fortaleceria aos terroristas.

O ministro também defendeu o programa de reintegração dos talibãs que deixarem suas armas, ao qual a Alemanha destinou 50 milhões de euros.

Além de aumentar o número de tropas, o Governo alemão duplicará seu orçamento para a reconstrução civil, que deverá chegar a 130 milhões de euros. EFE rz/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG