Berlim, 22 jul (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel e o ministro de Assuntos Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, comemoraram hoje a detenção do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic como uma boa notícia para todos os Bálcãs, e para a relação entre a Sérvia e a União Européia (UE).

"Com isso, as vítimas podem saber que as violações dos direitos humanos não ficam impunes", disse Merkel, em Berlim, e qualificou a detenção como "boa notícia para todos os Bálcãs".

De acordo com a chanceler, a detenção é um "passo essencial para a justiça, a paz e a reconciliação na região", e, com ela, o presidente sérvio, Boris Tadic, "destacou a vocação européia da Sérvia".

"Estou realmente feliz. Acho que coloca um marco na história das relações entre a Sérvia e a UE", disse Steinmeier, em Bruxelas, à imprensa alemã.

"Posso falar em nome de todo o Governo quando digo que estamos aliviados pelo fato de, após tantos anos, finalmente tenha acontecido a detenção de Radovan Karadzic", acrescentou.

Segundo o chefe da diplomacia alemã, a detenção mostra que Tadic e seu novo Governo "leva a sério a estabilidade e a reconciliação interna da Sérvia".

Este passo mostra, assim como os resultados das eleições parlamentares e presidenciais na Sérvia, que "a maioria dos sérvios aposta no caminho para a Europa", ressaltou.

O ministro alemão manifestou seu desejo de que Karadzic seja levado ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) e que a Sérvia "continue buscando os criminosos de guerra que ainda estão em liberdade". EFE ih/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.