Alemanha comemora 18º aniversário de sua reunificação

Berlim, 3 out (EFE).- A Alemanha celebrou hoje o 18º aniversário de sua reunificação, agora feriado nacional, com uma grande festa em Hamburgo, manchada apenas por pequenos protestos de grupos esquerdistas.

EFE |

No ato oficial, o presidente do país, Horst Köhler, assegurou que a Alemanha soube aprender com erros do passado e avaliou que por isso não deve duvidar em assumir um papel de liderança na Europa.

"Não temos motivos para nos engrandecer, mas também não para nos apequenar", disse o presidente.

"Aprendemos com a história e seguimos aprendendo", pois a capacidade de aprender faz "parte de nossa cultura, de nossa personalidade", completou Köhler.

O chamado Dia da Unificação foi celebrado este ano sob o lema "Alemanha-Nação Cultural".

Da celebração oficial, que, seguindo a tradição foi realizada na capital da região que controla a Presidência rotativa do "Bundesrat" (Câmara Alta), participaram os principais dirigentes políticos.

Ao mesmo tempo, mais de mil militantes do chamado "bloco negro" organizaram uma manifestação de protesto, acompanhada de perto por um forte dispositivo de segurança e que, segundo o balanço provisório da Polícia, não registrou incidentes.

Em Dresden, o último dia de um congresso anual de historiadores esteve focado em uma análise das circunstâncias que marcaram o fim da Alemanha Oriental (República Democrática Alemã, RDA).

A maioria dos conferencistas afirmou que o fim da RDA começou a se tornar realidade já nos meados da década de 1980, quando a economia local se encontrava praticamente quebrada.

"O sistema tinha deixado de ser competitivo em nível internacional", explicou o ex-presidente do Bundesbank (banco central alemão), Hans Tiwetmeyer, um dos protagonistas das negociações que levaram à reunificação do território. EFE ih/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG