A chanceler alemã Angela Merkel afirmou nesta terça-feira que seu país causou um sofrimento interminável ao provocar a Segunda Guerra Mundial, mas também recordou o destino dos milhões de alemães expulsos da Europa Central e Oriental ao fim do conflito.

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou nesta terça-feira que seu país causou um "sofrimento interminável" ao provocar a Segunda Guerra Mundial, mas também recordou o destino dos milhões de alemães expulsos da Europa Central e Oriental ao fim do conflito.

"A Alemanha atacou a Polônia. A Alemanha iniciou a Segunda Guerra Mundial. Causamos interminável dor no mundo. Sessenta milhões de mortos... foi o resultado", declarou Merkel por ocasião do 70º aniversário do início do conflito.

Merkel também recordou o papel dos alemães que foram expulsos da Europa Central e Oriental na construção da República Federal Alemã (RFA, Alemanha Ocidental) do pós-guerra. "Também queremos recordá-los", disse.

Entre 12 e 14 milhões de alemães foram expulsos ao fim da guerra das regiões da Europa Central e Oriental onde estavam instalados, em muitos casos há gerações.

As expulsões, que provocaram muitas mortes, aconteceram nas regiões da Pomerânia e Silésia, hoje Polônia, assim como na região dos Sudetes, que hoje faz parte da República Tcheca.

Os horrores cometidos pelos nazistas ofuscaram durante muito tempo o sofrimento da população alemã ao fim da guerra.

O projeto de construção em Berlim de um memorial consagrado a eles provocou tensão entre os governos alemão e polonês.

Merkel, nascida em 1954 e criada na comunista Alemanha Oriental, pretende assistir nesta terça-feira às cerimônias de recordação do início da guerra na Polônia, ao lado dos líderes de quase 20 países.

Leia mais sobre 2ª Guerra Mundial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.