Alemanha aceita oferta da Magna pela Opel

O governo alemão aprovou um acordo com a fabricante de autopeças canadense Magna International para que ela assuma o controle da Opel, empresa que faz parte do braço europeu da montadora norte-americana General Motors (GM). O acordo foi anunciado nas primeiras horas deste sábado, após horas de negociações entre políticos alemães, autoridades dos Estados Unidos e executivos da GM e da Magna.

BBC Brasil |

As negociações em Berlim buscavam garantir a continuidade dos negócios da Opel, que emprega mais de 25 mil pessoas na Alemanha.

Espera-se que o governo alemão faça um empréstimo-ponte de 1,5 bilhão de euros para o negócio. Mesmo assim, 2,5 mil vagas na Alemanha podem ser cortadas.

A Magna, em consórcio banco russo Sberbank e a montadora de caminhões russa Gaz, afirmou que injetará mais de 500 milhões de euros na Opel.

A GM, atual controladora da Opel, deve entrar em processo de concordata nos próximos dias.

Segundo o correspondente da BBC em Berlim, Steve Rosenberg, no entanto, a assinatura do acordo entre a GM e a Magna ainda pode levar algumas semanas.

A outra companhia interessada na empresa, a italiana Fiat, havia informado na manhã desta sexta-feira que não participaria da reunião com o governo alemão para decidir o futuro da companhia.

Proteção

Não foram divulgados mais detalhes sobre o acordo, mas informações dão conta de que a GM ficaria com 35% das ações da empresa, enquanto outros 10% ficariam sob o controle dos trabalhadores da Opel. A Magna, sozinha, ficaria com 20% da montadora, e os outros 35% seriam do consórcio ente a Magna e o Sberbank.

Correspondentes afirmam que a Magna e a GM também farão com que a GM Europa seja reestruturada, de modo que ela fique protegida durante o possível processo de concordata da GM americana.

Nesta sexta-feira, um tribunal na Suécia concedeu à Saab, outra subsidiária da GM na Europa, uma extensão na proteção contra os credores.

A montadora sueca havia feito o pedido de proteção em fevereiro. Agora, ela tem até 20 de agosto para reestruturar seus negócios.

Leia mais sobre General Motors

    Leia tudo sobre: general motors

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG