Berlim, 13 dez (EFE).- O roubo em grande escala dos dados de cartão de crédito de dezenas de milhares de clientes do banco regional Landesbank Berlim (LBB) em toda a Alemanha, com direção, movimentos e compras realizadas, não significa um risco para os usuários, segundo asseguraram hoje fontes da entidade.

O LBB assegurou aos usuários destes cartões de crédito que suas economias não correm perigo e que não descobriram as senhas de seus cartões, como se pensou incialmente.

Os clientes do LBB bloquearam durante as últimas horas o atendimento telefônico da sede bancária em Berlim -com quase 2 milhões de clientes é a primeira entidade em dar cartões de crédito na Alemanha- para saber se podem seguir realizando compras com seus cartões.

No entanto, o banco regional não foi capaz de especificar que cartões estão entre os afetados por este roubo de dados passado ao jornal "Frankfurter Rundschau", que imediatamente informou a Polícia e a Procuradoria.

Os dados estão contidos em microfichas, administradas por uma empresa terceirizada pelo banco regional.

Em qualquer caso este escândalo de roubo de dados em grande escala supera ajuda ainda mais a pôr em dúvida a já abalada confiança dos consumidores na Alemanha.

No fim de semana passado foi a revista econômica "Wirtchaftswoche" que recebeu um CD com a informação sobre 21 milhões de pessoas, dados que segundo ela, circulam atualmente no mercado negro.

Não em vão o Governo alemão aprovou esta semana uma reforma da lei de proteção de dados, que pretende frear o comércio ilegal com informação de clientes como este, elevando as multas formais de 25 mil euros a 50 mil euros e de 250 mil euros a 500 mil euros para infrações que causem danos materiais. EFE umj-ih/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.