Alemães esperam melhora das relações com EUA

A eleição de Barack Obama nos Estados Unidos foi bem recebida na Alemanha, onde ele fez seu único discurso de campanha na Europa. Os alemães esperam que Obama ajude a melhorar as abaladas relações com o país que já foi um forte aliado.

BBC Brasil |

Na semana passada, um símbolo das relações entre Estados Unidos e Alemanha foi fechado: o aeroporto de Tempelhof em Berlim, que garantiu o suprimento da cidade por aviões americanos na época do bloqueio soviético durante a Guerra Fria.

Há observadores que comparam a relação entre Alemanha e Estados Unidos com o destino do aeroporto: ambos têm um grande valor histórico, mas não funcionam.

O contato entre os dois países ficou prejudicado durante o governo de George W. Bush. Mas isso poderá mudar agora com a eleição de Barack Obama.

Afeganistão e Rússia
A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, congratulou o novo presidente dizendo estar convencida que a cooperação entre os Estados Unidos e a Europa será "estreita e marcada pela confiança mútua".

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse que com Obama os americanos elegeram também uma mudança na política externa, e que as relações com os Estados Unidos deverão melhorar.

Essas relações começaram a se deteriorar no governo do premiê Gerhard Schröder, antecessor de Angela Merkel, que se opôs veementemente à guerra no Iraque.

Merkel, eleita em 2005, defendeu a política de Bush no começo de seu mandato. No entanto, a primeira-ministra se distanciou gradualmente do presidente americano.

O mais recente conflito com os americanos aconteceu quando Merkel disse "não" a proposta de sanções contra a Rússia por causa do conflito na Geórgia, proposta que foi defendida pelo atual governo dos Estados Unidos.

Obama escolheu justamente Berlim para fazer o seu único discurso de campanha em solo europeu, onde foi ovacionado por milhares de alemães. Ele é muito popular no país.

Com seu discurso berlinense o candidato incentivou a "Obamamania" na Europa e lembrou os alemães dos bons tempos em que os Estados Unidos eram tidos como seu principal aliado.

Outros líderes americanos também fizeram discursos famosos na Alemanha. Nos anos 60, John F. Kennedy disse que era "um berlinense". E foi na atual capital alemã que Ronald Reagan conclamou o então líder soviético Michail Gorbatchov a "derrubar este muro" - o muro de Berlim.

No entanto, observadores avisam que Obama não reserva só sorrisos para os alemães e deverá, por exemplo, exigir o envio de mais tropas alemãs ao Afeganistão.

Segundo Carsten Plog, responsável no governo Merkel pela coordenação das relações com os Estados Unidos, "agora há uma chance real de os argumentos europeus serem ouvidos pelo governo americano".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG