Aldeia guarani desocupada é incendiada no MS

Rio de Janeiro, 15 set (EFE).- Um grupo de desconhecidos incendiou hoje uma aldeia de índios guaranis, previamente desocupada, no Mato Grosso do Sul, denunciou o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), organização de defesa dos direitos dos indígenas.

EFE |

Foram incendiadas 36 casas indígenas próximas à localidade de Rio Brilhante, a 100 quilômetros da fronteira com o Paraguai, nas quais viviam até sexta-feira passada 130 índios guarani kaiowá, que saíram do local por ordem da Justiça.

Os agressores permaneceram toda a madrugada na área para garantir que eram queimadas todas as casas, construídas em madeira e palha, e para "amedrontar" com as luzes de seus automóveis os índios, que estão acampados em uma estrada vizinha, segundo a versão do Cimi, organização ligada à Igreja Católica.

No incêndio, morreram vários cães e animais de criação que os índios ainda mantinham na aldeia, segundo a mesma fonte.

Um dos líderes do grupo indígena disse que a população está muito comovida, porque acredita que, junto com as casas, foram queimados os espíritos de seus antepassados que viviam nelas.

Um tribunal federal ordenou na semana passada que os índios abandonassem a fazenda onde tinham instalado esta aldeia há dois anos.

Os guaranis reivindicam que o local é uma terra ancestral que pertencia a seus antepassados, motivo pelo qual construíram a aldeia nesse lugar.

Depois da desocupação, que aconteceu de forma pacífica, os índios permanecem acampados em uma estrada, junto ao limite da fazenda. EFE mp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG