Paris, 4 jul (EFE) - O Príncipe Albert de Mônaco autorizou a extradição ao Brasil do banqueiro Salvatore Cacciola, acusado de fraude financeira e desvio de dinheiro público, informaram hoje fontes judiciais.

A defesa de Cacciola ainda pode entrar com um recurso no Tribunal Supremo, o último possível ao banqueiro para evitar a extradição.

O Governo brasileiro reivindicou a Mônaco, em outubro de 2007, a extradição do banqueiro "foragido número um" da Justiça, informou na época o ministro da Justiça, Tarso Gerno.

Cacciola, foragido desde 2000, foi detido em 15 de setembro em um luxuoso hotel de Mônaco.

Nascido em Milão, Cacciola viveu durante muitos anos no Brasil, onde foi processado e condenado à revelia a 13 anos de prisão por fraude financeira e desvio de dinheiro público, que causaram ao erário perdas equivalentes a cerca de US$ 800 milhões, segundo as autoridades. EFE jaf/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.