Alba rejeita bases americanas na Colômbia e anuncia empresa farmacêutica

La Paz, 21 ago (EFE).- Os ministros da área social da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba) ratificaram hoje sua rejeição à utilização de bases Colômbia por militares americanos e anunciaram a criação de uma empresa farmacêutica própria.

EFE |

A reunião realizada em La Paz contou com a presença de ministros e delegados das áreas de Saúde, Educação, Trabalho e Obras Públicas dos países membros da Alba, entre eles Bolívia, Cuba, Dominica, Equador, Nicarágua e Venezuela.

Uma das conclusões da reunião foi a rejeição à instalação de bases americanas na Colômbia, o que, segundo os membros do grupo, são uma ameaça à segurança regional, segundo a ata da reunião do Conselho Social da Alba.

Além do tema das bases militares, o ministro de Saúde boliviano, Ramiro Taipa, disse à agência Efe que outra das decisões adotadas consiste em criar uma empresa para produzir remédios de venda universal, em uma política de rejeição às patentes.

"Queremos ter uma empresa para contar realmente com remédios genéricos, que fale da comercialização sem fins lucrativos (...) e que evite as patentes que discriminam o uso adequado dos remédios", disse Taipa.

A empresa, que é um projeto que deve ser concretizado em 2010, deve fabricar remédios, verificar sua qualidade e se encarregar da comercialização, apontou o funcionário. EFE ja/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG