Alba reafirma compromisso com complementaridade, cooperação e solidariedade

Caracas, 4 ago (EFE).- A crise financeira aprofundou a queda da renda, do Produto Interno Bruto (PIB) e das exportações, diante do qual a Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) reafirmou seu compromisso com a complementaridade, a cooperação e a solidariedade entre os povos, disse o organismo regional.

EFE |

Um comunicado da Alba, emitido hoje pelo Ministério de Exteriores da Venezuela, revelou que o Conselho de Compensação Econômica da instância realizou na segunda-feira, em Caracas, sua primeira reunião, na qual os nove países associados também ratificaram seu compromisso com o respeito à soberania dos povos.

O ministro da Economia e Finanças venezuelano, Alí Rodríguez, disse que a reunião de Caracas foi uma prévia à qual os ministros de Comércio da Alba realizarão na Nicarágua em 12 de agosto.

Então, informou, "será cruzada toda a informação relativa, não somente a excedentes de exportação dos países que participam (da Alba), mas também aos potenciais excedentes, assim como os requerimentos de importação de cada um deles".

"Com esta informação, será formada uma base de dados a fim de aumentar a curto prazo a troca comercial entre nossos países e, com isso, unir esforços na atividade produtiva para estar em melhores condições de satisfazer requerimentos", acrescentou.

A Alba quer que o pagamento por essa troca seja com o sucre, a moeda que impulsiona.

Nesse sentido, Rodríguez acrescentou que a região "está se antecipando na criação de zonas monetárias".

Isso será complementado, acrescentou, com "a criação de empresas grandes nacionais" de todos os países do grupo, "e onde o Banco da Alba poderia entrar em operações, com um esforço importante e muito vinculado aos fundos criados na Petrocaribe".

Através desta última instância internacional, também criada pela Venezuela, este país vende seu petróleo aos parceiros da Alba e a outras nações da região em condições de pagamento vantajosas.

Contra o "golpe de Estado em Honduras, que tem a ver diretamente com a ideia de frear o desenvolvimento da consciência dos povos", acrescentou Rodríguez, "as equipes sociais, econômicas e políticas (da Alba) devem ter estreita relação, a fim de dar respostas integrais". EFE ar/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG