Al Qaeda pede resgate milionário por reféns espanhóis

MADRI (Reuters) - A Al Qaeda exige o pagamento de 5 milhões de dólares e a libertação de combatentes islâmicos presos como condições para soltar dois reféns espanhóis que foram sequestrados na Mauritânia, disse o jornal El Pais desta sexta-feira, citando fontes ligadas às negociações. O El Pais publicou um comunicado exclusivo do grupo islâmico no qual a Al Qaeda pede ao governo espanhol que cumpra suas demandas legítimas após a libertação de um terceiro cidadão espanhol, Alicia Gamez, nesta semana.

Reuters |

O comunicado não especifica quais são as demandas, mas o El Pais citou uma fonte ligadas às negociações dizendo que a Al Qaeda deseja um resgate de 5 milhões de dólares, além da libertação de combatentes islâmicos detidos em Nouackchott, capital da Mauritânia.

Gamez foi solta no Mali esta semana porque tinha se convertido ao islã e tinha uma condição delicada de saúde, segundo o comunicado.

Albert Vilalta e Roque Pascual, companheiros de Gamez em um comboio de ajuda humanitária que foi capturado no norte da Mauritânia em novembro, ainda são mantidos reféns pelo grupo. A Al Qaeda também mantém um casal italiano sequestrado na região.

(Reportagem de Elisabeth O'Leary)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG