Al Qaeda no Magrebe reivindica últimos atentados contra forças de segurança

Argel, 2 set (EFE).- A organização terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) reivindicou hoje os atentados cometidos na semana passada na Argélia contra as forças de segurança, que teriam causado mais de 20 mortes, segundo o grupo.

EFE |

Em comunicado divulgado em um site islâmico, a AQMI assume a autoria dos ataques de 26 e 27 de agosto nas províncias de Batna (leste do país), Bejaia (Cabília) e Ain Defla (oeste argelino).

Em 27 de agosto, membros desta organização montaram um falso controle de estradas perto da localidade de Merouana, em Batna, e atacaram uma patrulha do Exército que circulava pela zona.

O comunicado afirma que oito militares, entre eles cinco oficiais, morreram na hora no enfrentamento e que 11 faleceram no hospital, em conseqüência dos ferimentos.

Sem informações oficiais, a imprensa argelina falou deste atentado três dias depois, citando fontes de segurança, e afirmou que cinco militares e dois guardas tinham morrido e que 14 ficaram feridos.

A AQMI reivindica também a explosão de uma bomba no mesmo dia na passagem de outro comboio militar na localidade de Toudja, em Bejaia, que deixou um morto e cinco feridos, balanço que coincide com o oferecido pela imprensa local.

Também assume a autoria da explosão de outra bomba no dia anterior em Ain Defla, que deixou três feridos.

A organização terrorista não faz referência no comunicado, no entanto, às baixas sofridas entre seus efetivos nas últimas semanas, especialmente na Cabília e no oeste do país.

Mais de 30 terroristas morreram durante o mês de agosto nos diversos confrontos e operações realizadas pelas forças de segurança argelinas. EFE sk/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG