Al Qaeda liberta 2 mulheres sequestradas na Mauritânia

Bamaco, 10 mar (EFE).- A espanhola Alicia Gamez e a italiana Philomene Kaboure, ambas sequestradas pela Al Qaeda no Magrebe Islâmico, foram soltas hoje no norte de Mali e levadas para Ouagadougou, a capital de Burkina Fasso, confirmaram à Agência Efe fontes próximas aos negociadores da libertação.

EFE |

As duas foram soltas no norte de Mali e transportadas até a cidade de Gao, de onde embarcaram em um avião com destino a Ouagadougou.

Alicia Gámez foi sequestrada na Mauritânia em 29 de novembro, junto a Roque Pascual e a Albert Vilalta. Os três são membros da ONG Barcelona Acció Solidária e, quando foram feitos reféns, integravam um comboio de ajuda humanitária que seguia para Nuakchott, a capital mauritana.

Já Philomene Kaboure foi sequestrada junto com o marido, o italiano Sergio Cicala, no sudeste da Mauritânia. Na hora do rapto, eles iam de carro para Burkina Fasso.

Um conselheiro do presidente de Burkina, Blaise Compaore, teria desempenhado um papel fundamental nas negociações para a libertação das duas mulheres.

Sobre Gámez, o Governo espanhol garantiu que não pagou nenhum resgate pela libertação da trabalhadora humanitária.

A primeira vice-presidente do Governo espanhol, María Teresa Fernández de la Vega, conversou por telefone com a ex-refém, que está "sã e salva" e já viaja de volta para Barcelona.

A vice informou ainda que os dois companheiros de Gámez, ainda em poder da Al Qaeda no Magrebe Islâmico, estão bem, apesar do nervosismo e da vontade de serem soltos o quanto antes.

"O Governo continua e continuará trabalhando sem pausa e recorrendo a todos os recursos ao seu alcance para conseguir a libertação de Roque Pascual e Albert Vilalta", disse De la Vega. EFE id/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG