Cairo - O grupo terrorista Al Qaeda pretende capturar o armamento nuclear paquistanês e usá-lo contra os Estados Unidos, assegurou o considerado número três da organização, Mustafa Abul Jazid, em entrevista publicada na site do canal de televisão catariana Al Jazira.

"Se Deus quiser, o armamento nuclear paquistanês não cairá em mãos dos norte-americanos. Os muçulmanos capturarão essas armas e as usarão contra os norte-americanos", disse o líder terrorista de origem egípcia.

Com a barba tingida de vermelho, um turbante branco na cabeça e rodeado de homens armados no que parece uma área rochosa e rica em vegetação, Abul Jazid predisse a derrota do Exército paquistanês em sua atual ofensiva contra os talebans do Paquistão.

O dirigente terrorista se referia às operações levadas a cabo pelas Forças Armadas paquistanesas contra os talebans no vale de Swat e na região tribal do Waziristão do sul.

"O Exército paquistanês será derrotado e representará seu fim no Paquistão", disse Abul Jazid, que foi entrevistado pelo diretor do escritório da "Al Jazira" em Islamabad em algum lugar da fronteira entre Afeganistão e Paquistão.

No entanto, o líder da Al Qaeda também sugeriu a possibilidade de assinar uma trégua de dez anos com os EUA em troca de certas condições.

Entre elas citou a retirada de todas as tropas norte-americanas dos Estados islâmicos, que deixe de apoiar Israel e que detenha o apoio aos Estados islâmicos aliados do Ocidente.

Além disso, Abul Jazid anunciou que a Al Qaeda tinha sido nomeado um novo líder da organização para a península Arábica, que identificou como Abu Basir Nasser al-Wahshi.

"Esta nomeação poderia reviver a campanha da Al Qaeda na Arábia Saudita", disse Jazid.

O líder anterior da Al Qaeda na península Arábica, Saleh al-Oufi, foi morto pelas forças de segurança sauditas em 18 de agosto de 2005.

Leia mais sobre: talebans

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.