Al Qaeda ameaça EUA por colaborarem com bombardeio no Iêmen

Cairo, 22 dez (EFE).- Membros da Al Qaeda que atuam no Iêmen ameaçaram os Estados Unidos por causa de um recente bombardeio do Exército iemenita que supostamente contou com a ajuda do país e que matou dezenas de pessoas.

EFE |

Segundo a rede de notícias "Al Jazira", os terroristas, que aparecem em imagens com o rosto descoberto, protestavam pelo ataque na quinta-feira contra uma área residencial da província de Abyan, no sul do Iêmen.

"Temos um problema com a América e seus agentes na região; não queremos matar iemenitas, só queremos nos vingar da América", diz um dos terroristas.

Segundo a "Al Jazira", as imagens foram feitas ontem, durante uma grande manifestação de condenação do bombardeio de quinta-feira.

No dia 17 de dezembro, 34 supostos terroristas da Al Qaeda foram mortos em vários "ataques aéreos preventivos" em diferentes regiões do país, um deles na província de Abyan.

Segundo fontes governamentais, 4 pessoas morreram na zona de Arhab, na província de Sana, e entre 24 e 30 em Abyan, enquanto na capital do país 17 pessoas foram detidas.

O jornal americano "New York Times" informou que o Exército iemenita contou com a assessoria de inteligência, armas e apoio logístico dos EUA para realizar a operação.

Segundo informações do jornal, se tratou "da maior operação contra a Al Qaeda no Iêmen em anos".

Além disso, a agência nacional de notícias iemenita "Saba" informou que o próprio presidente americano, Barack Obama, felicitou o líder iemenita pelas operações "bem-sucedidas e valentes realizadas pelas forças de segurança contra a organização Al Qaeda".

EFE nq/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG