NOVA DÉLHI- O Governo do Sri Lanka negou visto ao famoso cantor de hip-hop Akon por conta de protestos gerados por um de seus clipes, no qual aparece uma estátua de Buda enquanto mulheres vestidas de forma sensual dançam.

Akon tinha previsto atuar na ilha do Índico em abril, e o Governo tinha lançado um plano para atrair ao país fãs do rapper de toda Ásia, segundo fontes do Ministério do Turismo citadas pelo diário "Daily Mirror" em sua edição digital.

A decisão de negar o visto aconteceu supostamente na noite desta terça-feira, pelo horário local, após uma reunião entre o ministro de Turismo, Achala Jagoda, e o presidente do país, Mahinda Rajapaksa.

Um grupo de monges budistas tinha pedido previamente ao Governo o cancelamento da apresentação, alegando que o vídeo em questão contém cenas que denigrem o budismo.

O clipe, da música "Sexy Chick", do dj francês David Guetta e com participação especial de Akon, mostra um grupo de belas mulheres com roupas sensuais dançando ao som do rapper.

Em um momento do vídeo, as moças, de biquíni, rodeiam Guetta e Akon, que estão sentados em uma poltrona junto a uma ensolarada piscina, enquanto ao longe pode ser vista a figura de um Buda.

Por enquanto, os organizadores do show garantem que não receberam notificação oficial sobre a rejeição do visto para o cantor de origem senegalês-americana, segundo o "The Daily Mirror".

Akon, nascido Aliaune Badara Akon Thiam, é um dos mais conhecidos nomes do hip-hop, e realizou centenas de parcerias com outros artistas.

Ao conhecer a notícia, o cantor emitiu um comunicado no qual disse não saber sequer que havia uma estátua de Buda no cenário do vídeo, e lamentou a reação do Sri Lanka.

"Nunca tentaria ofender ou profanar a religião ou crenças religiosas de ninguém. Eu mesmo sou um homem espiritual, portanto posso entender que fiquem ofendidos, mas a violência nunca é a resposta", afirmou o cantor em comunicado publicado pela revista americana "Entertainment Weekly".

A companhia responsável pela apresentação, American Talent Agency, decidiu "adiar" o show após os protestos, segundo essa mesma fonte. EFE daa/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.