Genebra, 11 mai (EFE).- A ajuda que as diferentes agências da ONU enviaram para Mianmar (antiga Birmânia) com o intuito de atenuar os efeitos do ciclone Nargis está começando a chegar ao país, mas a situação piora com a passagem dos dias.

Segundo a última estimativa do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha, sigla em inglês), entre 1,2 e 1,9 milhão de pessoas foram atingidas pela passagem do ciclone e necessitam de ajuda urgente.

O número de mortos oscila entre 63 mil e 100 mil pessoas, segundo diferentes fontes, e pelo menos 220 mil permanecem desaparecidas.

Os aviões com ajuda começam a chegar com relativa freqüência.

Um aparelho da Ocha partiu finalmente de Brindisi, na Itália, e deve chegar em Yangun hoje.

O aparelho transporta 30 toneladas de material, especialmente máquinas purificadoras de água, barracas de campanha e cobertores.

Além disso, um avião da Cruz Vermelha chegou hoje à capital da Birmânia com 35 toneladas de material de ajuda.

Segundo fontes citadas pela Agência Estatal Suíça, o Programa Mundial de Alimentos (PAM) distribuirá nos próximos dias 160 toneladas de ajuda.

O episódio negativo do dia foi o naufrágio de um barco da Cruz Vermelha que se enganchou com um tronco em uma das áreas mais atingidas pela passagem do furacão. Entretanto, não houve vítimas.

"A equipe navegava para uma ilha, se enganchou e afundou rapidamente. Todos os membros da tripulação, entre eles quatro trabalhadores da Cruz Vermelha birmanesa, puderam sair antes", disse um comunicado da Federação Internacional de Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

A embarcação, que foi alugada em Mianmar, transportava 100 sacos de arroz, 5 mil litros de água potável, 10 mil tabletes de purificação de água, roupas, utensílios de cozinha, sabão, luvas de borracha e material de saúde. EFE mh/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.