Air France substituirá sensores dos Airbus, diz sindicato

Por Crispian Balmer PARIS (Reuters) - A Air France anunciou que todos os seus aviões Airbus para voos de longa distância serão equipados imediatamente com novos sensores de velocidade, depois do desastre da semana passada na rota Rio-Paris, disse um sindicato de pilotos da França nesta terça-feira.

Reuters |

Os chamados tubos de Pitot, que medem a velocidade, se tornaram o foco da investigação sobre o acidente, devido a mensagens que apontaram dados "inconsistentes" nas medições passadas aos pilotos, o que pode ter causado o acidente em meio a uma tempestade.

Um sindicato menor de pilotos da Air France pediu a seus membros que parem de voar com os Airbus A330 e A340 até que os sensores antigos sejam substituídos. A companhia se comprometeu fazer a troca rapidamente, de acordo com o outro sindicato.

"A Air France nos ofereceu um programa de substituição extremamente proativo e muito acelerado", disse Erick Derivry, porta-voz do sindicato dos pilotos SNPL.

"A partir de hoje, todos os voos da Air France com A330 e A340 usarão aviões equipados com pelo menos dois novos sensores (num total de três)", disse ele à rádio France Info.

A Air France, que opera 19 A340 e 15 A330, não comentou a informação do sindicato.

O acidente da semana passada sobre o Atlântico matou todos os 228 ocupantes do avião. Na segunda-feira, a Força Aérea e a Marinha do Brasil anunciaram que 24 corpos e vários destroços já foram resgatados.

O A330 enviou 24 mensagens automáticas em seus minutos finais de voo, detalhando uma rápida série de falhas de sistemas.

O pequeno sindicato Alter, que representa apenas 15 pilotos da Air France, disse em nota que a primeira mensagem apontava um problema nos tubos de Pitot -- pequenos equipamentos presos à fuselagem que avaliam a velocidade do avião medindo a pressão do ar sobre a fuselagem.

A agência francesa de investigação de acidentes aéreos disse que é cedo para apontar a causa do desastre, mas admitiu que aparentemente houve problemas com a leitura de velocidades da aeronave.

Há especulações de que os sensores teriam congelado, gerando dados errados que poderiam ter confundido os computadores de bordo e os pilotos.

A Air France disse no fim de semana que há mais de um ano notou um problema de congelamento dos sensores de velocidade e pediu uma solução à Airbus, que respondeu reafirmando seus procedimentos operacionais atuais, segundo nota divulgada no sábado pela Air France.

A empresa disse que testes posteriores a convenceram de que sensores desenvolvidos para outros modelos seriam mais eficientes e deveriam ser instalados nos Airbus a partir de 27 de abril.

O avião que caiu no oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo no domingo ainda não havia sido modificado. A Airbus não se manifestou sobre a nota da Air France.

(Reportagem adicional de Jean-Baptiste Vey e Peter Maushagen)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG