Air France: raio é hipótese mais provável para desaparecimento de avião

O Airbus A330 da Air France, que desapareceu nesta segunda-feira em uma viagem entre Rio de Janeiro e Paris, teria sido atingido por um raio, segundo a hipótese mais provável, afirmou François Brousse, diretor de comunicação da companhia aérea francesa.

AFP |

"Provavelmente se trata de uma catástrofe aérea. Toda a companhia pensa nos familiares, com os quais divide a dor", declarou o diretor-geral da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, em uma entrevista coletiva no aeroporto parisiense de Roissy - Charles de Gaulle , onde o avião deveria ter pousado.

"O mais provável é que o avião tenha sido atingido por um raio", declarou Brousse à imprensa. "O avião entrou em uma zona de tempestade com fortes turbulências, que provocaram falhas", acrescentou.

O ministro francês de Ecologia e Energia, Jean Louis Borloo, declarou à AFP que haviam fortes tempestades tropicais na região. "São aeronaves habilitadas para este tipo de circunstâncias, mas deve ter sido um acúmulo de eventos".

A Air France informou que o Airbus decolou no domingo às 19h19 (Brasília) do aeroporto Tom Jobim. Às 22H30 aconteceu o último contato entre a tripulação e o controle aéreo brasileiro.

Às 23H00, o avião entrou em uma zona de fortes turbulências e 14 minutos depois emitiu mensagens automáticas para revelar um certo número de problemas, em particular uma pane elétrica.

"Teve início então um procedimento clássico, no caso de perda de controle aéreo, e os controladores aéreos brasileiros e africanos foram alertados", afirma um comunicado da empresa.

Às 2H00 ou 3H00 (sempre no horário de Brasília), "ficou claro que a aeronave havia tido um problema importante". "Um chamado foi feito às autoridades militares para detectar o eco do avião".

Às 4H30, a situação foi considerada grave e uma célula de crise foi instalada no aeroporto parisiense.

O diretor-geral da Air France destacou que o comandante do voo era muito experiente, com mais de 11.000 horas de voo. A última inspeção técnica do avião não detectou nenhuma falha, completou.

sj-soh/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG