Air France promete indenizar familiares de vítimas do voo AF447

PARIS (Reuters) - A Air France vai indenizar as famílias das 228 vítimas do acidente no mês passado do voo Rio-Paris, disse o presidente-executivo da empresa nesta sexta-feira. O Airbus A330 que realizava o voo AF 447 caiu no oceano Atlântico após atravessar uma forte tempestade. As causas do acidentes ainda são desconhecidas. Navios e aeronaves da Marinha e da Força Aérea Brasileira, com ajuda da França, continuam as operações de buscas por corpos e destroços numa área a mais de 800 km do arquipélago de Fernando de Noronha.

Reuters |

"Por agora vamos nos concentrar no primeiro adiantamento que será pago a cada vítima, aproximadamente 17.500 euros (24.420 dólares)", disse o CEO da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, em entrevista à rádio RTL.

"Os advogados das nossas seguradoras em todos os países estão conversando com as famílias das vítimas para organizar o pagamento desse adiantamento", disse ele. A Air France no Brasil informou que várias famílias já receberem o adiantamento das indenizações no país.

Gourgeon descreveu os pagamentos como um gesto de compadecimento por parte da companhia área, não uma admissão de responsabilidade.

Passageiros de 32 nacionalidades estavam a bordo do avião que caiu após decolar do Rio em 31 de maio. Entre eles, 61 eram franceses e 58 brasileiros. Os militares que realizam as buscas já resgataram 50 corpos do mar.

Durante visita ao Rio na quinta-feira, na qual participou de uma homenagem às vítimas da tragédia, o presidente do Senado francês, Gérard Larcher, afirmou que o Parlamento vai garantir que a Air France pague as indenizações aos familiares segundo os acordos internacionais, independentemente de suas nacionalidades.

Perguntado sobre o andamento da investigação sobre as causas do acidente, Gourgeon repetiu as palavras de precaução dos investigadores franceses, que esta semana disseram que estavam mais perto de entender o que aconteceu, mas ainda sem qualquer certeza.

Os investigadores disseram que não era possível nesse estágio saber se informações erradas transmitidas pelos sensores de velocidade da aeronave contribuíram para a queda.

As caixas-pretas do avião ainda não foram encontradas. Gourgeon disse que não perdeu a esperança de que elas serão achadas por um submarino nuclear francês que participa das buscas a nordeste da costa brasileira.

(Reportagem de Elizabeth Pineau e Estelle Shirbon)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG