AIG exige US$ 4,3 bilhões de ex-executivo-chefe

Nova York, 15 jun (EFE).- A seguradora American International Group (AIG) tentará recuperar na Justiça US$ 4,3 bilhões que teriam sido apropriados ilegalmente pelo ex-executivo-chefe Maurice Greenberg com a venda de ações.

EFE |

No julgamento, cujo início está previsto para esta segunda, a firma americana acusa Greenberg, que esteve à frente da companhia por décadas, de vender títulos da AIG neste valor em 2005, ano em que foi obrigado a deixar o cargo pelo conselho de administração. As informações são do jornal "The New York Times".

Greenberg e seus advogados defendem que os títulos em questão eram propriedade da Starr International, uma empresa particular de investimentos presidida por ele, e que os papéis podiam ser vendidos sem restrições para que os fundos fossem investidos em outros negócios.

O ex-conselheiro vendeu as ações há quatro anos, muito antes de o preço cair vertiginosamente e a situação da AIG se complicar. Para evitar a falência, o Governo americano estatizou a firma em troca de US$ 182 bilhões e uma participação próxima a 80% de seu capital.

A seguradora informou que destinará qualquer valor recuperado no julgamento para devolver parte do dinheiro público recebido. EFE vm/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG