AIEA encontra urânio clandestino em 2. local da Síria

Por Mark Heinrich VIENA (Reuters) - A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU) descobriu traços de urânio processado em um segundo local da Síria, disse a agência na sexta-feira, ampliando a preocupação com a possível existência de atividades nucleares clandestinas no país árabe.

Reuters |

A AIEA tem examinado relatórios de inteligência dos EUA segundo os quais a Síria havia quase concluído a construção de um reator nuclear projetado pela Coreia do Norte e que deveria produzir plutônio para armas nucleares --mas que foi destruído em 2007 por um bombardeio israelense.

Inspetores que localizaram partículas de urânio em uma instalação remota do deserto, há um ano, encontraram também traços similares em um pequeno reator de pesquisas em Damasco, a capital, segundo o relatório da AIEA. A agência sabia da existência desse reator e o inspeciona anualmente. Os traços agora descobertos são diferentes do material declarado pela Síria como parte do seu estoque.

Em fevereiro, a AIEA disse que inspetores haviam encontrado amostras significativas de urânio em amostras de terras tiradas do local bombardeado por Israel.

O relatório obtido pela Reuters na sexta-feira disse que "partículas de urânio natural antropogênico" também haviam aparecido nas amostras ambientais recolhidas no minirreator de Damasco.

A Síria, informada em maio sobre a descoberta da AIEA, respondeu por escrito na segunda-feira, mas sem tratar da presença das partículas ou da sua origem. A agência da ONU está investigando uma possível correlação com as partículas de urânio provenientes do local bombardeado, segundo o relatório.

Anteriormente, a agência dissera que fotos de satélite prévias ao bombardeio revelaram um prédio que poderia ser um reator.

Mas o novo relatório disse que a Síria, citando razões de segurança nacional, continuava ignorando os apelos da AIEA para apresentar mais subsídios que comprovem suas alegações de que Israel na verdade bombardeou uma instalação militar convencional.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG