Viena, 20 jan (EFE).- A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) mantém sobre a mesa a proposta feita em outubro passado para que o Irã passe a processar urânio no exterior, como disse hoje à Agência Efe a porta-voz do organismo, Gill Tudor.

A confirmação da proposta é feita depois que Teerã rejeitou a oferta da AIEA de processar o combustível no exterior, como confirmaram diplomatas em Viena.

Sobre isso, Tudor comentou que a AIEA não está em condições de discutir as posturas das partes envolvidas, mas que é consciente de que é estudada a melhor solução, apoiada por França, Rússia e EUA.

"A AIEA seguirá trabalhando de boa fé como um intermediário imparcial e esperamos que se alcance o mais rapidamente possível um acordo entre as partes para que contribua para estabelecer a confiança", acrescentou Tudor.

Segundo diplomatas consultadas pela Agência Efe, Teerã teria rejeitado nas últimas horas o plano da AIEA, que representa um compromisso entre o direito iraniano de produzir combustível atômico e o temor do Ocidente de que esse material seja usado em um programa militar.

O Irã já tinha posto emendas à proposta original, com a exigência de receber o combustível nuclear ao mesmo tempo em que enviava ao exterior o urânio pouco enriquecido. A República Islâmica argumentou que essas condições se devem à falta de confiança de que o Ocidente cumprirá sua parte no acordo.

O Conselho de Segurança da ONU já impôs sanções ao Irã pela recusa em aceitar a exigência de paralisar seu programa nuclear, que já é investigado há sete anos pela AIEA para saber se tem natureza civil ou militar. EFE rs/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.