Aiatolá pede libertação dos presos no Irã

Teerã, 30 dez (EFE).- O aiatolá iraniano Ali Mohamad Dastgheib pediu a seus colegas que rompam a lei do silêncio, e reivindicou a libertação dos presos e a identificação dos assassinos das vítimas dos distúrbios durante a festa xiita da Ashura.

EFE |

Em comunicado divulgado pelo site opositor "Nasim-e Farda", o alto clérigo xiita, que vive na cidade meridional de Shiraz, pediu a detenção dos responsáveis das vítimas do dia da Ashura.

"Peço aos verdadeiros ulemás de todas as cidades que rompam o silêncio e cumpram seu dever e peçam ao sistema que respeite a Constituição para que a Revolução (...) fique livre dos fanáticos", disse.

"Volto a repetir o conselho de que se deve escutar as demandas lógicas do povo muçulmano, seguir o Corão, a Sunna e a Constituição do Irã, libertar os presos e evitar os atos que contradizem a sharia (lei islâmica) com a desculpa de proteger o sistema", afirmou Dastgheib.

A oposição reformista iraniana retomou os protestos nas ruas no domingo, dia da festa religiosa xiita da Ashura, em um dia sangrento na qual, segundo números oficiais, pelo menos oito pessoas morreram.

Além disso, durante a repressão dos protestos, foram detidas cerca de 300 pessoas, segundo números oficiais, dado que a oposição eleva para quase mil. EFE jm-msh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG