AI quer observadores internacionais no julgamento de opositores iranianos

Londres, 11 ago (EFE).- A Anistia Internacional (AI) pediu hoje às autoridades iranianas para que permitam o acesso de observadores internacionais a um tribunal revolucionário de Teerã para o julgamento de mais de 100 pessoas que participaram dos protestos pós-eleitorais no Irã.

EFE |

Em comunicado emitido em sua sede em Londres, a organização pró-direitos humanos considera "vital" que haja "presença internacional" no processo para defender os direitos dos acusados.

Na opinião da secretária-geral da AI, Irene Khan, o processo não parece ser mais que um "julgamento-espetáculo" que o líder supremo da Revolução iraniana, aiatolá Ali Khamenei, usa para deslegitimar os manifestantes que consideram fraudulenta a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad nas eleições de 12 de junho.

A AI ressalta que as imagens retransmitidas pela televisão iraniana, nas quais se vê alguns acusados confessando ou pedindo desculpas, "aumentaram os temores de que muitos deles possam ter sido torturados ou maltratados após sua detenção e tenham feito essas declarações no tribunal sob uma extrema coação".

O tribunal revolucionário de Teerã acusa os mais de 100 manifestantes de espionagem e conspiração com potências estrangeiras. EFE pa/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG